5 conselhos para reduzir as dívidas e não ficar mais inadimplente

Está endividado e não sabe por onde começar a organizar sua vida financeira? Veja estas dicas

Para isso, não vai dar para fugir das anotações: vai ter de fazer o orçamento doméstico, anotando os gastos e ganhos de forma bem detalhada. Seja em um caderno, por meio de planilhas ou aplicativos. É necessário que você faça um balanço semanal de seus gastos e inclua-os em seu organizador financeiro. O ideal é a inclusão diária, mas isso vai da sua disciplina.

Casal endividado

1. Organize suas prioridades

É preciso estabelecer prioridades e prazos. Em vez de fazer dívidas para realizar o objetivo, poupe para conseguir comprar sem pagar juros.

2. Adapte seus gastos ao que ganha e não o contrário

Avalie os gastos e veja onde é possível fazer cortes e reduções.

Por exemplo: como a alimentação tem um alto custo, talvez seja a hora de reduzir a frequência dos pedidos de comida e das idas a restaurantes e lanchonetes e experimentar cozinhar mais. Ao invés de ir ao bar todo final de semana, reúna os amigos em casa no esquema “cada um leva uma coisa”. O custo é consideravelmente menor e a diversão em turma é a mesma.

Se você paga a academia e não vai fazer exercícios, corte o pacote. Ou se você paga e vai, verifique com a academia se há algum programa de descontos ou reduções no valor da mensalidade.

3. Crédito não faz parte da sua renda

A sua renda é o que recebe no fim do mês já tirando todos os descontos, e é isso que deve aprender a usar, sem cair na tentação de somar ao limite do cheque especial ou do cartão de crédito.

4. Aprenda a poupar

Não deixe para poupar apenas o que sobra no final do mês, porque quando estamos descontrolados financeiramente não sobra nada.

O ideal é poupar pelo menos 10% de seu salário assim que ele cai na sua conta. Mesmo que inicialmente não dê para poupar esse porcentual, comece com qualquer valor, para cultivar o hábito.

5. Tenha disciplina

Assim que você se vê com as contas no azul você voltar a utilizar seu dinheiro sem freios é muito provável que você volte a se endividar.

Fonte: R7