Tem uma grana sobrando? Faça seu dinheiro render. Veja como

Saiba o que é preciso observar antes de investir e quais são as principais aplicações disponíveis no mercado

Faça seu dinheiro render

O Economia em 5 Minutos explica o que é preciso observar antes de fazer uma aplicação e os investimentos mais comuns para quem está se familiarizando com esse universo.

  • Estar com a contas em dia.
  • Ter um orçamento organizado e controlado.
  • Adquirir o hábito de poupar.
  • Estabeleça metas
  • Reserve um valor para imprevistos e outro para o lazer.

Se o dinheiro será utilizado em alguns meses, por exemplo, é preciso avaliar o tempo mínimo e as taxas cobradas antes de efetuar a aplicação.

E quais são os principais investimentos? Listamos abaixo alguns:

Caderneta de Poupança: é simples e permite a aplicação de valores baixos, varia de acordo com a instituição financeira. O rendimento é mensal, mas costuma ficar abaixo da inflação. Também cumpre um papel social e é utilizada pelos bancos para o financiamento da habitação. Não há cobrança de impostos, nem taxas. Quem tem conta corrente, basta fazer a transferência. E quem não tem, também pode aplicar, basta ir a uma agência com CPF, RG, comprovante de residência e com comprovante de renda.

Tesouro Direto: uma parceria do Tesouro Nacional e da BM&F BOVESPA para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas por meio da internet. Em outras palavras: você está emprestando o seu dinheiro ao governo federal em troca de uma remuneração que dependerá do tipo de título e o prazo do título adquirido. É importante saber que tem vários tipos dentro do Tesouro Direto, se o investidor escolher errado e retirar na hora errada, vai perder dinheiro.

Para investir, basta ter um CPF e escolher uma instituição financeira que poderá ser um banco ou corretora.

CDB – (Certificado de Depósito Bancário) o banco faz uso dos recursos que foram captados com o intuito de emprestá-los para outros clientes. O que resulta em taxa menor.

Fundo DI – Os Fundos DI são fundos atrelados à Selic (taxa básica de juros). São fundos que devem investir no mínimo 95% do seu patrimônio em títulos do tesouro.